5 de dezembro de 2008

Expressão


Batom

Folheando a última edição da revista, que estava entre um jornal
e folders de anticoncepcional , eu estava esperando me chamarem
para uma consulta outro dia. Uma simpática senhora, sentou-se ao meu lado, (lembrando os regionalismos, que nós hoje em dia nem percebemos mais) com um vestidinho de algodão florido,
“molecas” de pano nos pés, cabelos bem presos com aquelas presilhas finas.
Virei a página da revista, mexi apenas o canto da minha boca
(esboçando um cumprimento, tipo :é isso aí “tia” ,se sente e fique à vontade).
Ela nem mesmo esperou eu virar a página novamente e disse :
Batom vermelho... é bonito! Você tem a pele tão clarinha... deveria usar!
Olhei para ela (e nesta fração de segundo pensei :
”acho que não hein? fico parecendo uma puta!”(ou melhor para os acanhados, mulher de vida fácil , que cá entre nós nem é assim tão fácil...)
então, sorri amarelo e respondi :
É bonito sim, mas não combina muito comigo...
Nisto chamaram meu nome ( como sempre me chamaram de tudo,menos é claro, pelo meu nome!!!) guardei a revista, acenei à senhora entre um sorriso e a porta do consultório.
Voltei com a história do batom em minha cabeça, porque outro dia li uma crônica do Jabor que dizia que batom vermelho só fica bonito em senhoras.
Mexi nas coisas, enfim um batom vermelho... me enchi de coragem e o passei, fui ao espelho e percebi algo daquilo que ele( o cronista) queria dizer...
Afinal eu fiquei a cara do coringa do Batman (me imagina gargalhando com um charuto na mão? Nem eu....rs).
O buraco é sempre bem para baixo...
Batom vermelho é muito mais que sua própria simbologia, aquela que vem de sua cor, está ligado a maturidade para lidar com os efeitos causados por ele...ele funciona como um divisor de águas, já
que para encaralo sem grilos e “preconceitos”,
você tem que estar madura, eis o que o Jabor falou, do encanto
que ele traz as jovens e às “jovens”... e o efeito distinto que se dá para cada grupo.
Olhei para meu rosto e minha “pele branquinha” e para a cor vibrante naquele momento em minha boca...e seus significados...
Vi o tamanho de minha falta de preparo para o mundo, vivi tanto,
bem mais que a maioria eu posso garantir...mas minha boca ainda só suporta os tons mais róseos, porque a gente não muda a natureza das coisas...tudo tem seu tempo exato!(A gente é que tem uma mania esquisita de atrapalhar a ordem).
Lembrei da senhora do hospital e compreendi porque para ela a cor era bela.
Talvez porque conforme envelhecemos, ( e só tenho percebido isto agora) as coisas e a própria vida vá perdendo a cor, aí passamos a nos fixar nos detalhes, nos apegando as cores dos outros.
Porque de algum modo a nossa tinta acabe, e seja mais conveniente viver na transparência há ter que lidar com as emocionantes cores...cores sim...como o vermelho.

3 comentários:

cacá disse...

adorei o texto

Cazzali disse...

Amne, comecei a ler este texto do batom vermelho e não consegui parar. Que delícia me perceber sorrateiramente lhe observando diante do espelho. Parabéns !
Cazzali

lilian alves disse...

sempre te leio! saudade sem ter saudade! essa crônica é linda, bjbjo!