7 de fevereiro de 2011

Descalço


Tem tardes
Que bonecos, carrinhos e aqueles sons das voltas que você dá pela Terra
Ou por todos os mundos que te pertencem
Enluaram meus dias

Enquanto danço pisando nos confetes decorados
Aquela decoração sem cor dos preços grudados no pacote
Daquilo eu trouxe pra nós
E aquela refeição bem no fim da tarde,
Onde a gente faz silêncio nos olhos

Talvez as pessoas saibam mais que nós, e nossa bagunça que tem cheiro
De doce ou salgado
Que decidimos arrumar bagunçando
enquanto enfeitamos os pratos com desenhos de palito

Porque você e esta tua sabedoria das manhãs
Só faz me ensinar a viver
Você com quem o sol aprende a brilhar
Você que dança e ri sem desconfiança
Descompasso ou despedida
Preconceito ... ou inconstância
Dança com aquela graça daqueles que sonham
Que acreditam na vida
Pelo simples fato de terem vivido menos
E tudo ser descoberta.

Sonho, ilusão
Fantasia
Barulho sem graça
Brinquedo que fala sozinho
Que fiz na intenção
De copiar teus olhos
Melhorando minhas gotas de vida...

Amne

Um comentário:

Thati Dias disse...

Como sempre, lindo!
Beijocas