24 de agosto de 2008

O tempo no devido lugar

Espera Contrária

O tempo no devido lugar
Existiu uma certa favelização dos sentimentos
Faltou cuidado
Faltou amor
Sobrou falta
Sobraram planos
E agora me deparo com um passado no futuro
E a banalização do presente
Sinto medo do que pode ser para sempre
Olho na janela todos os dias apenas para lhe encontrar
Porque é chegada a hora de descansar a cruz
Na confusão nos enchemos de fuga
Aprofundando tudo o que nos tornamos
Só sei que tudo até agora foi profundamente difícil
E o tempo correndo como nunca
Minhas mãos enfraquecidas
Acenam aos ventos cheios de perfumes, sutilezas e ternuras
Minhas asas abrindo-se para você
Meu amanhã.
Dentro todas as minhas oportunidades
Braços cruzados
Choros digeridos
Pessoas
E tudo que agora exponho sem culpa, medo ou qualquer devaneio.

Amne

2 comentários:

Denizia disse...

Amei, realmente tudo tem seu tempo, tudo tem sua hora, e a sua hora chegou, a hora de mostrar ao mundo, encher-lhes com tanta orgulho, por existir pessoas assim como vc.
Parabens; cada dia me orgulho mais de vc.
bjs

chips disse...

Amne... adorei esse texto: poucas palavras repletas de significados. Um beijo, Thati