8 de abril de 2009

Dente de leão


Desça!

Fala de força?
Que sabe da vida?
Que sabe de fragilidade?
Eu pouco sei...
Mas vou lhe contar para que me entenda,
Caso um dia passe tua humanidade tão humana...
Dentro dos confins da invisibilidade de tuas escolhas errôneas.

Pensei nos erros
Me achei tão santa...
Do púlpito onde andei fazendo morada.
Do manto que me colocaram como vestimenta.

Pensei em toques.
Me achei coberta da mais fina camada de vento
Um vento feito de ternura, da mais ambígua ingenuidade com a vida.

Pensei em passos
Vi uma estrada de açúcar que um dia desenhei num papel.
Lembrei de um olhar
Acabei vendo arco-íris, num mundo áspero e sem vida.
Acabei sentindo que só eu via, ou me alimentava com olhos vendados.

Pensei em punição!
Retribui com a outra face...
Porque onde quer que eu vá
Me faço tão frágil.
Até com aqueles que me arruínam.

Pensei em me calçar
Mas meus pés são da terra.
Vou colecionar pedras e espinhos...
E meu toque independe do céu.

Talvez na distância eu me encontre,
Ou apenas me torne mais humana.
Cheia de mágoas, decepções e conformismo.
Tipicamente racional.
Talvez, enfim eu seja forte!
Uma pena ...

tanta força que pode ser levada pelo vento...

Amne
Foto-Olhares.com

2 comentários:

Olive Tree Guitar Ensemble disse...

Hi, it's a very great blog!
I could tell how much efforts you've taken on it.
Keep doing!

Duh disse...

Amei suas poesias...
Fazia tempo que não lia textos tão fortes e bem escritos como os seus ^^