23 de outubro de 2009

As vezes sinto Medo

Só espero não me tornar uma velha qualquer
Com um copo qualquer
Uma música qualquer
Me lembrando de uma pessoa qualquer
Achando que o cachorro é meu filho
Tragando o que não vivi
Me fingindo de viva,
e dizendo que sou feliz apesar de tudo.
Em dias assim, em que a tristeza me toma...
Amne

2 comentários:

yo disse...

pois é...

João disse...

Se eu não tivesse certeza que amanhã vou pensar totalmente diferente do que penso hoje também teria medo, na verdade convivo com o medo desde que descobri ser uma poeira sob a camada de um pequeno planetinha perdido no meio do nada absoluto, espero ficar louco rs. Poesia existencialista na essência.Parabéns!