25 de outubro de 2009

Vita


Toques no vidro da janela
Depois das tempestades
Fabricando moinhos
Você não sabe o que pensar, eu sei
Sinto também, aqui te olhando de frente.
Tanta coisa já passou,
e se acabou por tantas vezes
E agora,
Não sabemos mais...

Flutuando no vento
De nossas tempestades internas
Ninguém sabe o caminho mais claro
Só vemos o balanço da rede,
Onde ninguém mais é feliz.

A tarde ainda se joga na noite
Com lembranças meio gastas
E vontades incompreendidas
Protegendo igualdades.

Tua verdade é mentira até para teus olhos
A sinceridade ainda faz planos
Não sabemos mais...

Histórias assim não acabam bem,
Deveríamos saber.
A menina e sua flor ainda choram
Lágrimas que não se apagam...
Apenas toques nos olhos, do tempo
Não sabemos mais...

A fuga é sóbria
A partida dilacerante
A incompreensão tem planos pra nós
Apenas não sabemos mais...
Não sabemos mais nada sobre a Vida...
Não sabemos mais.
Amne

foto:Olhares.com

Um comentário:

João disse...

como diria Belchior: Qualquer sofrimento passa, o "ter sofrido" não!