19 de agosto de 2009

"Das coisas mais pequenas"


A única certeza é a continuação
História das coisas verdadeiras
Das coisas que cabem no peito
que anda sem razão

Suspiros pro vazio e risos pro cheio

Encontrar conforto em amenitudes
Das coisas “mais pequenas”
sentir saudade até das lembranças
Quem é que pode com o tempo?
Quanto é possível mentir pra si mesmo?
E enganar o coração? É fácil?

No cotidiano
Que eu faço doce pra doer menos...
Amanhã?
Pro dia nascer mais feliz...
Quem é que sabe?
Amne

4 comentários:

João disse...

existe o "nada" , para o qual o "pouco" , é muito, coisas pequenas , maiores que nós (...)

Fabrício Mohaupt - Tito disse...

Adorei seus textos e seu blog!

Alana disse...

Apenas tenha certeza de que, quando não puder mais fazer coisas legais e gostosas, terá ainda lembranças dignas de um sorriso.
Arrependimento é um saco.

uma poetinha... disse...

Obrigada, seja bem vindo.
Amne