18 de setembro de 2009

Cinema mudo


Tentar condicionar nossos pés parece tão fácil.
Os problemas tão nossos,
não escolhem o mesmo caminho...
Não adianta, ninguém nos entende.

Caminhando sobre lágrimas na madrugada
completamente sozinhos,
a gente se vê em algum labirinto por aí.
Que tal amanhã pela manhã?
Vamos fazer análise na montanha?

Vamos fazer o seguinte:
eu nasço maior, e você com poder de levitar.
Nesta vida a gente precisa até deixar de acreditar.
De repende a gente se surpreende, segurando as mãos de estranhos.

Eu não estou entendendo nada.
Espero, corro ou apago? Resisto ou afago?
Tanta gente se anima...
Parece que desta vez é cada um por si.
Corra!
Amne

Um comentário:

João disse...

olha só o vesúvio entranado em ebulição(rs), minha cara , seja lava que queima , transforme em pedra tudo aquilo que viveres, mas nunca deixe se apagar esse fogo que emana dentro de ti, poesia , plena , bjo!