4 de setembro de 2009

Viva


Bom dia, para quem lê no início...boa tarde para quem está no meio, e boa noite e um abraço, afinal sexta à noite ...uma semana vencida.
Ontem à noite arrumando coisas encontrei um ursinho meu, eu o ganhei com 5 anos, de um pessoa que hoje passeia nas nuvens e é um carinho que vem da infância.
Abracei meu ursinho.
Pensei nas pedras do caminho, e em minha capacidade de equilíbrio no meio fio da vida, parece que meu telhado veio com uma camada extra contra o choques e tempestades.
Tenho absorvido mais sol do que chuva, embora quando me faço triste não me permito senti-la por muito tempo.
Fiquei pensando em minha imperfeição e feliz com ela, porque parece que só esta minha forma “ingênua” é que me permite ser real.Ser real e possível, sem plásticas, sem vulgaridades ou hipocrisias...ser apenas, simples.
Eu não sei porque , cresci “de menos” em muitos aspectos, e isto me diferenciou.Tudo tem um lado bom...
Tenho aprendido a delegar, priorizar, e me divertir com o coração mais pleno.A minha priorização me deu mais tempo, para ser mãe, para não ser nada, para me sentir bonita, ler, bater um papo na padaria, comprar flores, plantar flores, escutar meus amigos, interpretar letras de músicas...
Parece que tudo está ligado ao tempo, mas o tempo mora na mão da gente, a gente é que anda se permitindo morar na mão do tempo.
Ando pensando bem mais no ato de existir, e falando mais sério ...
Existir é difícil eu sei, mas também é no mínimo rico e divertido demais.
O mundão está bem bagunçado, os valores mutados eu diria, mas o comportamento é nosso, temos uma inacreditável capacidade de ser.
Então, vamos lá ...SEJAMOS!
Um brinde.
Vou sempre dar ursinhos, simples e marrons daqui pra frente...talvez um dia, alguma destas crianças perceba o valor, e o carinho que tem e cabe à vida.

Amne

Um comentário:

João disse...

poesia, ãããããhhhhhh.....plena , bjo querida!