21 de setembro de 2009

Sarei da Cegueira


Não adianta,
sendo profundamente julgada!
Os acertos aos baldes,
são sempre sobrepostos ao mínimo descuido.
Então, tuas assertividades perdem valor.
Ai, ai.

Me fizeram santa,
mas colocaram-me véus cheios de furos.
Nem sabiam de minha capacidade humana de errar...
Frustrei-me ...frustraram-se.
Nunca pedi esta condição.
A dor vem do vazio que uma longa amizade deixa.
Gera cicatrizes dolorosas.
Conta mentiras e verdades, que não queremos mais escutar.

E como diz o amigo
aquele d'outra hora
...sempre será uma menina.
parece mesmo ser minha condição.

Ser apenas uma menina
sozinha
sem chão
sem terra
sem nada.

Mas parece que no final viver ainda faz bem!
Minha maior capacidade está no sentir.
Ainda toco os homens, e modifico a humanidade!
Amne

3 comentários:

Paula F. Campos disse...

A gente pode modificar o mundo ao modificar o nosso próprio olhar. Toda a certeza que temos na vida é a de que nada temos a não ser a morte. Isso deveria ser um conforto para nós, já que está tudo sempre em movimento. Àquilo que se foi devemos dizer "que vá e traga consigo o sol". Aquilo que cumpriu seu destino e foi embora deixou um vazio (a oportunidade?) que pode ser preenchido pela energia do novo despertar.
Gostei das palavras... Se quiser trocar figurinhas: arteclando.blogspot.com
Namaste,
Paula

uma poetinha... disse...

é sim, um despertar cotidiano.
;)
seja bem vinda!

João disse...

só uma menina que muda o mundo,
somente uma menina pode mudar o mundo, e quando somente a menina muda , toca os homens e acertando no que não viu muda o mundo outra vez...